Monday, January 02, 2006

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM JOHN MAYNARD

DA DESINFORMAÇÃO PARA REVELAÇÃO

Tradutor Janglada



O seguinte texto é uma entrevista exclusiva realizada pelo website SurfingTheApocalypse com o testemunho do Americano Reformado do Exército alcunhado John Maynard do Projeto Disclosure – Agência de Inteligência de Defesa (DIA).

Essa entrevista foi conduzida por email durante várias semanas por Theresa de Veto para o website SurfingTheApocalypse.

Quando possível, certas tecnologias ou pessoas são aludidas na entrevista, e os links para informações sobre aqueles assuntos e/ou pessoas são providos. É sugerido que você siga estes links e pesquise as informações inclusas, assim como as informações por si mesmas.



Surfing The Apocalypse é denotado como SURFING. E John Maynard como MAYNARD.



As adscrições constantes nesta entrevista não são essencialmente do Surfing The Apocalypse, do entrevistador, ou de quaisquer dos seus websites afiliados.



DISCURSO INTRÓITO DE JOHN MAYNARD



SURFING: Alguém poderia questionar, tendo uma carreira abrangendo um serviço na contra-espionagem para intuitos militares e de tráfico de drogas, “como você se envolveu com os UFOS”?



MAYNARD: Minha interação foi mais fortuita do que qualquer outra. Eu me envolvi com os UFOs enquanto estava na Alemanha, Turquia e Coréia. Estas áreas eram desconhecidas como tendo ampla atividade UFO. Eu fui inicialmente anuído investigar marginalmente alguns incidentes e implementar programas de desinformação ou informações incompletas para arredar a atenção dos militares e volvido para o paranormal e/ou (séqüitos) UFOs naquelas áreas. Contudo, um ponto que eu nunca revelei para os militares foi que a minha avó confessou-me acreditar nos UFOs.



Não obstante dizer que naquele ponto, eu ainda era um leal conservador (politicamente) e pus as minhas obrigações militares na vanguarda dos meus dogmas. Eu tinha um “país, obrigação, e uma atitude honrosa”. Eu suponho que devido a minha dedicação, e candura, meus súperos militares não questionavam as minhas ações quando era para enlear os avistamentos UFOs. No entanto, eu fiquei muito confrangido porque os UFOs não eram para tornarem-se notórios publicamente e, que eles (o governo) elegia que quaisquer informações UFOs, para induzir a atenção pública, ficasse no reino do paranormal e/ou fontes dúbias UFOs.

Eu levei vários anos para compreender que essa rude apatia com a opinião pública era um plano maquinado para guardar e manter a premência de provas de certas pessoas de nossa sociedade.

O plano era basicamente pôr a obrigação de provar que os ufos existem para os ufólogos e dissociar o público das organizações militares que estavam diretamente ligadas com a pesquisa UFO. Neste plano eu inferi, que os militares estavam usando a mídia para manter os ufólogos de atearem o assunto ufo taxando-os como insanos, esquisitos, paranóicos e inacreditáveis; e melhor ainda, com pessoas espreitando-os por detrás dos bastidores para crerem que os UFOs são verídicos e que o governo tolda tudo.



Atualmente, esse plano tem obrado bem acima da média, e o público ainda tem uma opinião trilhando o que a mídia já lhes contou.



SURFING: Você pode nos dizer a respeito da questão primal de ter optado abdicar a área desinformante UFO e ter presumido que a revelação alien era requerida? Como você inferiu que seus dogmas tomariam precedência nas suas obrigações militares?



MAYNARD: O ponto primordial! Isto foi mais um período de esclarecimento, de desinformação para revelação. Eu não presumo ter havido qualquer único pormenor que eu possa dizer. “isso foi o dia /ou a hora”. Eu posso lhe dizer o dia e a hora que eu parei de fumar, ou quando tornei-me um Cristão, mas a revelação alien era, e é, algo plenamente distinto. Isto foi mais uma postura de mudança de cunho pessoal.



Se você quiser saber exatamente quando isto começou a ocorrer, foi no ano de 1970 enquanto eu estava na Alemanha. Foi também no período da afamada publicação do jornal LA Times, dos Papéis Pentágono e de Daniel Ellsberg. Eu era o responsável pelo repositório secreto da Organização do Tratado do Atlântico Norte/E.U.A e dos Papéis Pentágono que me fez ordenar o inventário de tudo no repositório, exatamente até a última página. Parte dos papéis Ellsberg eram classificados como sendo “Cósmico Ultra-Secreto”, que é uma classificação da Organização do Tratado do Atlântico Norte. Visto que eu encontrava-me na área de defesa aérea, aqueles distintos documentos estavam no meu repositório, logo nós tínhamos que prestar conta de tudo. Isto sucedeu numa tremenda soma de trabalho no meu escritório para aprontar o inventário de cada página de todos os documentos.



Foi durante esse período que eu compreendi quanto que o governo inumava de revelações e informações secretas ufos. Até mesmo os informes dos jornais que tinham tornado-se parte dos arquivos, estavam sendo classificados como secretos. Pareceu-me que eles literalmente não queriam que ninguém soubesse do que sabiam. Eu presumo que o meu amadorismo foi austero naquele instante. Após esse evento, eu passei atentar mais no que sucedia, mormente quando era para classificar documentos. Eu, mais ou menos, tornei-me uma fonte oficial para indagar sobre os documentos secretos, que traduz sua pesquisa plena.



Eles dizem que em retrospecto tem contemplado em 20/20. Eu poderia ter agido ilegalmente nesse ponto e tirado cópias das páginas pertinentes aos incidentes UFOs. Contudo, a minha jura de salvaguarda e dever com o meu país obstava-me de cometer tal medida extra para a ilegalidade. Eu tenho que dizer que eu seriamente presumi a respeito; logo, eu não poderia atingir o ponto de fazer cópias de quaisquer privativas páginas alusivas a avistamentos UFOs e outros contatos. Eu suponho ter sido um insigne escoteiro e repudiava cogitar ser preso. Ah, yup, eu me atemorizo quando reflito a respeito.



A gradação desta mudança em postura e reflexão prosseguiu. Enquanto eu estava baseado na Turquia, eu finalmente inferi que a revelação alien era requerida. Levou aproximadamente seis anos para eu atingir esse intuito. Foi também o período quando me converti para um Cristão e estava realmente dúbio no modo de adotar um programa revelador e/ou findar a minha carreira militar. Eu realmente não tinha meios de cumpri-lo sem literalmente ser confinado. Eu alcunho-o de sisudez, ou o que seja, e partindo da Turquia, eu fui designado para a sede da Agência de Inteligência de Defesa no Pentágono. Naquele ponto, eu compreendi que seria melhor aguardar e ver o que mais eu poderia saber sobre os UFOs, e o que o governo estava fazendo com as informações aliens e porque ajuizava os UFOs uma ameaça para o conhecimento público.



Aquele dia foi quando eu aventei que algo tinha que ser feito, e que eu estava sendo anuído lograr informações que o público não tem, e possivelmente, nunca terá, sem a revelação.



Realmente, eu ainda tenho empecilho em me expor e falar o que sei, mas também presumo que este é o período para a revelação. Revelação Plena!



SURFING: O que você exatamente quer dizer com “Revelação Plena”?



MAYNARD: Fielmente o que isso traduz! Eu presumo que o governo deveria expor e desprender todas as informações ufos e deixar os Americanos disporem o que seria feito com as mesmas.



Surpreendentemente, ou adverso dos estudos feitos pelos militares e outras agências governamentais, eu suponho que os cidadãos Americanos e a humanidade estão prontos para esse tipo de revelação. Isto tem sido esperado por muito tempo. Eu até mesmo duvido que o governo liberará tudo de uma vez. Justamente uma simples revelação de que os UFOs existem e que o contato tem sido feito com os seres aliens, é temido pelo governo.



SURFING: Você informou: “Justamente uma simples revelação de que os UFOs existem e que o contato tem sido feito com os aliens, é temido pelo governo.” Você pessoalmente presenciou qualquer evidência no seu trabalho governamental que o contato alien tem sido feito? Neste caso, você pode nos dizer peculiarmente, quais os liames do “mesmo”?



MAYNARD: Pessoalmente, sim, como listado nos documentos que eu me incumbia. Eu também conheci várias pessoas que voaram para e decolaram da Base da Força Aérea Nellis nas aeronaves Janet no aeroporto Internacional McCarran em Las Vegas. Estas aeronaves governamentais eram fretadas (sem reconhecença) do aeroporto MacCarran diretamente para Nellis/Área 51. Isso mesmo, as aeronaves eram desindentificadas, de forma alguma marcadas. Um amigo meu é engenheiro de segurança, e abordamos a sua viagem para Lãs Vegas, mas nunca assumiu ter voado para a Área 51, até cotejá-lo sobre uma foto sua a bordo de uma aeronave Janet. Depois disso, ele admitiu ter visto as aeronaves que o governo tinha, nossa e deles (aliens), parqueadas em hangares e áreas de estacionamento subterrâneo. Ele nada mais admitiu, e a nossa amizade findou.



Com dois outros amigos abordamos tudo o que fizemos na Área 51. Eles já me conheciam antes que eu me aposentasse, e (de) meu interesse no material UFO. Apesar disso, ao inquiri-los para me mostrarem provas e para outros testemunharem, sem rodeios refutaram e me postularam para nunca mais falar com eles novamente, sobre tudo, se eu prosseguisse com o Projeto Revelação. Eu anui seus intentos, ainda que dialogássemos amigavelmente. Mas eu nunca aludi Área 51 ou quaisquer outras questões pertinentes aos UFOs.



SURFING: O que é a aeronave JANET?



MAYNARD: Aeronave Janet é a aeronave governamental para viagens rotineiras que conduz o pessoal de Las Vegas para a Base da Força Aérea Nellis/Área 51. Houve vários shows sobre a Revelação Alien e o Canal Aprendizado abordou sobre estes vôos. Como eu disse, após contemplar uma foto de um amigo a bordo de uma destas aeronaves e cotejando-o com a evidência que ele tinha contradito por três anos, lhe permitiu expor-se e descrever alguns dos trabalhos que ele empreendeu. O que ele me disse apenas ratificou o que eu já sabia de outros diálogos. Ele apenas afirmou que os UFOs existem e que tem havido contato alien com o governo, mas declinou discutir sobre os aliens. Eu não lhe açulei a falar além deste mérito, por consternar-se em me inteirar sobre a maioria destas informações, pois lhe estimo pelo que almejou provir-me. Ele se aposentou há muito tempo e eu já não tenho mais contato com ele, nem sei onde ele reside atualmente. Ele optou agir dessa forma.



SURFING: Você pode nos dizer sobre a mais persuasiva evidência alien que você já encontrou? Compartilhe conosco qual o seu testemunho dos pormenores do Projeto Revelação?



MAYNARD: Nenhuma outra coisa foi mais persuasiva exceto, que naquele período, foram todas as fotos secretas de satélites e imagens de radar que foram tiradas durante distintas compartimentais missões fotográficas, assim como pelo Talent Keyhole (TK 11) e pelos satélites OMNI. Eu estou certo que estas fotos ainda são secretas. Acerca disto, lembra do livro e do filme O Falcão e o Homem da Neve? O livro prestava algumas das mais acuradas informações expostas para o público sobre as operações secretas governamentais.



Como essas informações denotavam para o Projeto Revelação, isto é multi-facetado. Primeiro, presta evidência de que os documentos existem, como eu posso apurar o tipo e suas classificações. Segundo, presta documentação de suporte para outras testemunhas. Finalmente, institui uma base para audiência congressional, se nada mais turvar os dilemas com a apatia do congresso.



SURFING: Então, você supõe que identificando o tipo de classificação que estes documentos aludem, coadjuvará na localização e na desclassificação dos mesmos?



MAYNARD: Sim, eu presumo poder conduzir investigadores para documentá-los como sendo um influente auxílio em destoldar o fato que o governo sabe sobre os UFOs e do programa de contato alien por anos.



SURFING: Muitas teorias foram germinadas sobre os UFOs; eles têm alcunhado tudo de seres extraterrestres para seres multidimensionais, projetos governamentais ultra-secretos, entidades demoníacas. De sua pesquisa e conhecimento, o que você supõe estear o fenômeno UFO?



MAYNARD: Esta é uma pergunta insípida no mínimo que se pode dizer! Eu suponho ter que recrutá-la, “D”: “tudo súpero”! As informações e evidências ficam disponíveis para o nosso governo, sobremaneira, na área ultra-secreta, como você alcunha, que é basicamente a inteligência secreta ou operações sob um profundo acobertamento e compartimentalização. As informações que o governo apinhou deram créditos e seitas religiosas, sendo aludidos como satânicos.



Vamos dispor desse modo: nós vivemos dentro de um amplo habitado mas dinâmico universo, que está sempre mudando, ainda que continue constantemente rumando na mesma direção. Nós não somos para “sermos os mestres deste universo” nem quaisquer de seus habitantes estão habituados havê-lo. Contudo, eu tenho problema com essa palavra “fenômeno”, mormente quando aventa avistamentos ufos e contatos verazes. Qualificando-os como “fenômenos” é abolição do evento por um bem refinado programa desinformante que alicerça-se propriamente erigido, automaticamente imitado, por exemplo, “reportado” pela mídia. Isso serve para manter o assunto UFO aludido no reino da veleidade ou “fenômeno”.



SURFING: Uma tradição constante acerca dos discos voadores é que no findo da Segunda Guerra Mundial, após a Alemanha ter sido derrotada, um grupo distinto de militares e cientistas NAZISTAS evadiram da captura das tropas aliadas e edificaram uma base secreta na Antártica, onde continuam aprimorando avançadas aeronaves que podem ter sido construídas com tecnologia extraterrestre.



MAYNARD: Houve muitas histórias e todas advém da Segunda Guerra Mundial; e meus dois tios, John e Eric, prezavam contar ciclicamente estes excessos de guerra. Mesmo que meu tio John tivesse manejado um análogo semi-trator Patton Universal montado com 50 calorias e o meu outro tio voado de carona em Burma, eles poderiam dizer algumas inverdades. E visto que a minha avó me criou durante período da Segunda Guerra Mundial, e devido ao seu interesse em UFOs, meus tios – que foram mais como irmãos mais velhos para mim – realçariam suas histórias com alguns informes UFOs. Daí, todos zombavam a respeito.



Para responder a sua pergunta: Eu ouvi histórias de Alemães que evadiram para a Antártica, e de naves espaciais sendo edificadas, e seqüentes bases na lua. Contudo, eu nunca vi nada escrito ou aludido em qualquer diálogo que eu tive pertinente aos documentos secretos. Se houve alguma verdade a respeito, estava além de minha área de classificação e dever.



SURFING: Pelo que sabemos, você viu algumas coisas presumindo que alguns dos avistamentos UFOs são/eram naves deste tipo?



MAYNARD: Não, todavia, eu li certos documentos aludindo a nossa própria destreza nesta área: equipamento projetado reversamente, sistemas de propulsão, e aparelhos aliens que poderiam nos prover com a aptidão de viajar para amplas distâncias deste planeta. Eu também dialoguei recentemente sobre esta área, mas não estou prestes adentrar agora em pormenores. Eu preciso argüir perguntas completivas e asseverar estas informações de fontes mútuas antes de fazer um informe integro destas atividades governamentais.



SURFING: Como você soube interar os UFOs nos seus dogmas como um Cristão?



MAYNARD: Isto é um amplo esmerado aprumo, que me motivou a indagar, ocasionalmente, no que eu presumia. Todo instante, esse questionamento tem somente alentado os meus dogmas como um cristão. Eu tenho que admitir que isto inicialmente me aturdiu e ainda aflige, agora em algum grau. No entanto, ao versar-me mais nas informações e na escatologia UFO, eu comecei a perceber liames dentre os incidentes na Bíblia que eu vinculei diretamente no meu conhecimento UFO. Que é algo que eu realmente sou censurado por alguns dos meus amigos na comunidade religiosa. Sobretudo por aqueles que não estão muito afeitos com a pesquisa UFO como eu, e, casualmente, não estão todos tampouco versados com a Bíblia.





Qualquer um pode me indagar perguntas como:

Existe um Deus?

Ele está envolvido conosco?

Existem UFOs?

Os extraterrestres estão interados conosco?



E minha resposta para todas estas perguntas será SIM! Eu posso expor a minha posição a respeito? Provavelmente não para contentar qualquer erudito Bíblico. Mas isto tem se tornado uma verdade e dogma tangível no lugar de minha vida.



SURFING: Expondo do aprumo dentre os seus dogmas como um Cristão e o seu conhecimento UFO, você disse: “Eu comecei a ver liames dentre os incidentes na Bíblia que atrelavam diretamente com o meu conhecimento UFO.” Você pode dar um exemplo?



MAYNARD: Primeiro, eu gostaria de dizer que a minha descoberta destas adversões precedeu a minha interação com a Internet, e sobretudo, devido aos estudos que eu tomei parte naquela época, em 1980. Desde então, eu desvendei muitos websites e artigos exibidos, atestando casos ufos disponíveis na Internet.



Acerca dos meus estudos, os livros de Daniel, Ezequiel, Salmos e os livros de Crônicas e dos Reinados me compeliram a questionar estas escritas perfiladas com o meu conhecimento do programa desinformante UFO. Além dos estudos de Daniel e seus relatos do “Final dos Tempos”(um termo que eu não aprecio usá-lo irrestritamente) e o disco voador “circulo dentro de uma esfera” de Ezequiel, adstrito com os relatos de Crônicas e Reinados acerca das “Carruagens de Fogo”, como as mais concludentes provas que os UFOs tem visitado a Terra por pelo menos cinco milênios.



SURFING: Você afirmou: “Acerca dos meus estudos, os livros de Daniel, Ezequiel, Salmos, e os livros de Crônicas e Reinados, me compeliram a questionar estas escritas perfiladas com o meu conhecimento do programa desinformante UFO”.



O que você quer dizer? Você está dizendo que descobriu evidências contraditórias na Bíblia, ou que as escritas da Bíblia divergiram com o que você estava fazendo no campo de desinformação UFO.”



MAYNARD: Vamos tentar elucidar e discernir isso: Não! Eu não encontrei qualquer desinformação na Bíblia. Quando assomou descrito na Bíblia, o texto proveio discernimento dentro de informes seculares como para suas agendas desinformantes, tornando-os prontamente discerníveis e onde eu aludo para outros leitores. A maioria proferiu que: “Eu nunca presumi que a Bíblia provaria que o Governo falsearia sobre alguma coisa como os UFOs”.



SURFING: Você pode me dar um exemplo de um texto na Bíblia que denota que o governo falsearia sobre os UFOs?



MAYNARD: Opa, você aprecia testar as pessoas. Ok, se você ler no livro de Daniel no Capítulo 7 versos 9-14, como o governo retrata nesse texto aludindo que uma guerra cataclísmica pudesse ocorrer no Oriente Médio no regresso de Cristo – o qual pode estar adstrito diretamente com as passagens da bíblia na Revelação 18:11-14; Atoss 1:9-11; e de Ezequiel 1:1-8- (todas estas passagens aludem o modo que Cristo partiu da Terra e retornará) o governo mormente enuncia que isto é inverídico e que o texto é meramente abstração e descerra interpretação. Para isso eu indago, o que está ocorrendo atualmente?



Onde isto está mais claro, é como está descrito no verso de Ezequiel 8:1-8, onde a descrição da nave que ele viu é estritamente algum tipo de nave espacial. A posição governamental é inexistente, pois relata “interpretação”, mas nunca enuncia expressamente. São dois indulgentes cânones de ardis aventados atualmente, pois o governo não tomará nenhuma posição. Contudo, quando foi questionado sobre os UFOs, o governo refutou abraçar essa plausibilidade, ainda que, idealizará uma história idílica para contentar o público.



Um bom recente exemplo, foi a esfera flamejante vista além da Costa Leste do Canadá para Virgínia. Foi dito que esta esfera crestou o milharal dentro de um campo na Pensilvânia, mas nenhum escombro da nave foi encontrado. Em alguns dias, a NASA declarou que o milharal não foi chamuscado, sendo uma ampla adversão do reportado pelas testemunhas e jornalistas de vários noticiários da mídia. Agora, quem está mentindo? Isso foi o mais simples dos avistamentos, malgrado não UFO.



O governo tem mostrado ao público esse tipo de desrespeito por anos e não posso supor nada mais com mentira. Logicamente que isto não é a verdade. Talvez eu esteja fomentando idéias, mas você pode dizer quando que o governo está dizendo a verdade? Todos esperam que tudo que o governo diga é a verdade, ainda que alguns dos artigos logicamente conjurem concepções.



SURFING: Você teme ser acoimado por aludir quaisquer destas evidências agora?



MAYNARD: Não! E sim! No entanto, eu presumo estar numa posição na vida acalentando-me em qualquer dos casos. Também, que o meu conhecimento adstrito com todas as outras testemunhas aludindo o mesmo discernimento me consola. Para o governo cometer revides em alguém, ou todos, seria mais funesto no caso de incoerência.



SURFING: Você presume que o governo americano tem mantido expeditos progressivos diálogos com espécies extraterrestres?



MAYNARD: Sim! Sem dúvida que eu suponho estar ocorrendo.



SURFING: Você pode nos dizer donde advém estes seres extraterrestres?



MAYNARD: De onde eles vêem? Essa é possivelmente a pergunta de R$ 64 milhões de dólares para todos, exceto para certos oficiais governamentais. Pessoalmente, eu desconheço suas origens, pois eu nunca vi ou dialoguei com alguns deles para desvendar. Eu ouvi todas as retóricas que tem sido espargidas sobre os Greys de Alfa Centauro ou Sirius e Reptilianos (que eu nunca ouvi antes de ver o termo usado na Internet), então, logicamente, o termo “aliens assemelhando Nórdicos”. Logo, eu careço de qualquer discernimento para tal questão. Contudo, não traduz que eu desconheça sua existência, decerto somente dos Greys. Pois eu nunca ouvi nada a respeito de quaisquer outras espécies aliens.



SURFING: Você está dizendo que em nosso trabalho com a Comunidade de Inteligência Americana você contemplou evidência de que os “Greys” são genuínas entidades biológicas extraterrestres?



MAYNARD: EBEs, eu não sei o que mais alcunhá-los, você sabe? Eles não são deste planeta, mas a sua interação com a insigne humanidade tem sido muito refreada por ações governamentais.



SURFING: Como a interação com os aliens Greys tem sido refreada pelas ações governamentais?



MAYNARD: Refreado foi um termo muito cordial para o que está acontecendo. O governo está tentando moderar diretamente todos os contatos dentre os aliens Greys e a população. Esse é um dos intuitos para as afrontas aventadas entre eles, e porque nós sabemos sobre os Greys há muito tempo que o governo não quer a revelação alien.



SURFING: Você sabe alguma coisa por detrás das intenções dos visitantes extraterrestres com o planeta Terra?



MAYNARD: Eu posso presumir como qualquer um, ainda que algumas destas informações estivessem além do que a minha autorização permitia-me saber. Eu sei que algumas daquelas intenções se coadunam com a nossa evolução, não apenas como uma raça, mas também como um membro futuro de uma comunidade social interplanetária que já tem atingido um lugar dentro de uma ampla sociedade universal. Quão súbito nós chegaremos lá e qual será o nosso mérito para essa comunidade depende de muitos fatores. Atualmente, nosso governo está gerindo esse enredo de nosso saber e até que isso transmude, nunca haverá uma genuína interação. Eu realmente presumo que se o nosso governo e outros governos que sabem plenamente destes contatos aliens não revelarem e noticiarem os seres extraterrestres para o mundo, os aliens o farão, que logicamente acarretará pânico.



SURFING: Quanto tempo você supõe que o nosso governo sabe que nós não estamos sozinhos no universo?



MAYNARD: Isso é intrincado dizer, mas eu suponho que o Governo Americano – mas não essencialmente o governo eleito – teve algum conhecimento de uma presença alien tão breve quanto dentre o ano de 1.800. No entanto, quando o contato oficial foi feito, eu nunca li nada escrito sobre uma data especial. Entretanto, através do rasto de rumores, de outras informações descritas, e diálogos que eu tenho tido, eu computaria que o contato oficial foi feito entre o ano de 1.930. Ainda que, pudesse ter sido tão breve quanto antes da Segunda Guerra Mundial (1.910-14), sendo há muito tempo antes da atual crença popular do ano de 1.950. Nisto, devido ao restrito (filial congressional e executiva) conhecimento, o governo como um todo não estava aparelhado para os acidentes UFOs que ocorreram no final do ano 1.940 e início dos anos 50”. Por causa disto, o governo falhou drasticamente, irrompendo teorias conspiratórias e especulativas. No entanto, com a brevidade das comunicações atuais, os defensores conspiracionistas tem uma tendência para provir muito mais informações sobre os eventos do que realmente ocorreu. Então, a sociedade é deixada com a sensação de instabilidade, por causa de quem sabe e não de vida extraterrestre.



SURFING: Você disse: “Eu realmente presumo que se o nosso governo e outros que sabem plenamente sobre os contatos aliens, não apresentarem e noticiarem publicamente para o mundo que os aliens existem, então os aliens o farão”.



MAYNARD: Sim, eu realmente presumo e tenho acreditado nisto por pelo menos nos últimos vinte anos.



SURFING: Se o contato tem estado medrando por tanto tempo quanto você presume, porque o sentido de urgência da perspectiva alien para fazer esse anúncio agora?



MAYNARD: Eu inferi que alguma coisa estava errada entre os aliens e as pessoas que os contatavam. Não muito a respeito foi dito francamente, mas alguma coisa enquanto eu estava averiguando o pano de fundo dos documentos que os aludiam. Também, nos informes feitos durante os diálogos com vários colegas de trabalho e meus amigos que trabalharam na Área 51, ficou patente que todos não estiveram exatamente em Groom Lake. Ademais, outros diálogos superficiais denotavam haver uma crise ocorrendo entre uma autoridade superior e aqueles que contatavam diariamente os aliens. Contudo, eu nunca soube exatamente quais eram os dilemas. Tudo o que eu pude lograr dos diálogos foi que definitivamente havia algum tipo de embate ocorrendo. Eu continuo sondando a respeito e creio que este embate prossegue atualmente, mas num sentido tempestuoso, como uma beligerância armada de ambos os alados, com uma exígua presença alien.



SURFING: Quando você disse “autoridade superior”, você traduz os súperos na cadeia de comando?



MAYNARD: SIM!



SURFING: Você disse: “diálogos superficiais denotavam haver uma crise ocorrendo entre as autoridades superiores e aqueles que contatavam diariamente os aliens.”



Você pode nos dizer alguma coisa sobre a natureza dos liames deste “contato diário”?



MAYNARD: Há certas instalações governamentais (militares e/ou civis) onde houve contato alien e UFO e é, um evento normal diário, quais sejam:



Groom Lake (Área 51) em Nevada



Áreas Destacando Dugway no Utah



Montanha Cheyenne (Comando Espacial) no Colorado



Montanha Branca no Arizona



Os locais onde não havia uma normal atividade alien diária eram:



Califórnia – Laboratórios Lawrence Livermore, El Toro e Estações Aéreas Navais de China Lake, e a Base da Força Aérea Edwards



Novo México – Base Sandia e Laboratórios de Los Alamos



Flórida – Bases da Força Aérea Eglin, MacDill e Maxwell, que também mantinham o Centro Espacial de Canaveral e Kennedy



Base da Força Aérea Loring – Maine



Houve outros locais que tinham algumas atividades aliens, que são menos presumidas e ofuscariam o assunto. Simplesmente, eu denotaria (sem ter que abancar-me com um mapa e contar cada uma delas) que há pelo menos 80 (oitenta) instalações governamentais, e o número poderia ser maior, por todo o país de um modo geral. Ademais, sobre as mesmas, eu não posso fornecer quaisquer exclusivos pormenores sobre os tipos de atividades diárias que eram conduzidas em quaisquer destes locais, exceto da Montanha Cheyenne.



SURFING: Por obséquio, descreva mais sobre o que você sabe sobre os eventos diários na Montanha Cheyenne?



MAYNARD: Primeiro, eu quero que você compreenda um pouco do pano de fundo da Montanha Cheyenne que dará ao leitor uma efígie do que nós estamos abordando acerca dos contatos aliens diários.



Há muito tempo houve uma organização alcunhada de Comando Espacial, assim como o Comando de Defesa Aéreo Norte Americano (NORAD), munido para resguardar o continente Norte Americano de ataque. Esse foi o primordial motivo para edificar o complexo dentro das Montanhas Cheyenne. O precípuo intuito desta junta Americana/Canadense foi manter o Comando Estratégico Aéreo (NRO). O NRO é basicamente uma organização ultra-secreta que tem mantido sua primordial função na SAC como um essencial rebuço para o novo comando.



A missão da NRO foi instituída para lograr informações através da ARIEL e/ou imagens de satélites. Como cada vez mais atividades espaciais interavam-se no processo, um outro comando foi criado para lidar sozinho com isto; alcunhado de Comando Espacial. É de incumbência do Comando Espacial manter um ininterrupto e constante fluxo de informações de atividades diárias na Terra, rente ao espaço, e de veículos espaciais adentrando na atmosfera terrestre. Esse comando é mantido pelas organizações militares, juntamente, como a NASA e várias companhias do complexo militar-industrial, como a Hughes, EG&G, Dryden, e a SAC. Todas estas organizações cedem orçamento, operários e atividades de apoio, num processo compartilhado num certo nível, enquanto que a NRO é precipuamente uma operação liderada pela Força Aérea Americana mantida por todos os comandos militares. Todas as três organizações, NORAD, NRO, e o Comando Espacial são missões providas diretamente pela NSA, que coordenadas processam informações para a mesma.



O Comando Espacial atual como um controlador de tráfego aéreo para todas as atividades abrangendo dentro e ao redor da América do Norte. Eu tenho estado agindo para lograr informações adicionais para substanciar as minhas alegações sobre o contato alien diário.



Nos últimos anos houve incidentes reportados ou alegados avalizando um contato ALIEN e/ou EBE diário. Contudo, estes incidentes são, no máximo, suspeitos, afigurando haver muitos fatores desvinculados de cada incidente que alvitraria algo. Após sondar minuciosamente cada um dos incidentes (que não me sinto acalentado para nomeá-los agora), e na via de minha súbita investigação dos incidentes, eu percebi similitudes e padrões de desinformações sendo usados para compelir as pessoas a zombarem do que foi dito. Após adotar o meu conhecimento de desinformação, eu comecei a perceber veracidade em cada um dos incidentes. Isso me fez majorar as minhas investigações, que prosseguem atualmente, implicando mais do que justamente o Complexo da Montanha Cheyenne.



Eu presumo ter um documento pronto para publicar com os resultados do que eu desvendei, após esse período invernal.



SURFING: Muitas pessoas tem reportado contatos abdutórios. Eles relatam ter sido levados sem anuência prévia pelo aliens (trivialmente descritos como os Greys) e sujeitados a algum tipo de exame médico. Alguns destes abduzidos também testemunharam Militares Americanos presentes durante os contatos abdutórios. O que você sabe a respeito do intuito abdutório de tudo isso?



MAYNARD: Nunca me disseram quaisquer informações diretas sobre abduções. Eu soube que houve casos sendo inquiridos, mas eu nunca li quaisquer informações a respeito. Pessoalmente, eu diria que as abduções tem ocorrido e ainda estão ocorrendo atualmente. Ademais, eu não posso comentar mais nada a respeito.



SURFING: Porque você presume que os aliens arbitraram interagir diretamente com o governo, em vez das pessoas?



MAYNARD: Pelo anos muitos informes foram elaborados (ficção e/ou não ficção) para acercar melhor deste intrincado assunto, que pactuo na sua maioria. É patente que a humanidade tem sido subjugada na maioria pelo governo e pela mídia. Apesar disso o filme estreante “Jornada nas Estrelas” é sobretudo o mais ínclito informe, e o mais acedido seria o mais plausível enredo. Contudo, como os seres humanos tem sido contemplados pelos aliens por pelo menos os últimos vários milhares de anos, mais ou menos um milênio, a revelação alien será naturalmente menos aturdida para nós agora e no período do que previamente suposto: “Detalhes no 11”.



Sim, os intuitos com os quais regemo-nos não trarão benefícios para a maioria. Então, se eu fosse um alien pesquisando esse planeta e a sua sociedade, eu ficaria um pouco apreensivo em despontar-me e proclamar a minha presença. Eu possivelmente contataria um, dois, ou mais dos principais governos e trabalharia com eles e no momento devido, faria um anúncio articulado e deixaria a história tomar seu curso. Ainda que, apesar do que alguém diga, uma vez que o contato governamental fosse feito e arranjos de trabalhos estivessem medrando, quaisquer anúncios alígeros, seriam improfícuos. Quer dizer, até que fique notório que a revelação ufo seja requerida. Naqueles padrões, a soma do conhecimento popular é um fator essencial para definir o momento certo para se mencionar a revelação alien.



O outro lado dessa moeda pode ser que o contato já tenha sido feito há milênios, e através de planos, foi arbitrado que uma presença alien seria inapta para o progresso da nossa sociedade planetária. Nesse caso, a não revelação alien pode ser o melhor enredo. Então, novamente, se o contato tiver uma admissão terminante e a revelação alien tiver sido feita, a interação pode ser um fator comum em nossa sociedade, e não seria mais meditado o que você presume do seu vizinho. Alguns presumem, também – como eu – que teríamos até mesmo uma melhor sociedade planetária, se soubéssemos que os contatos aliens ocorreriam deliberadamente e amplamente desde o prelúdio. Primeiro, você tem que lembrar que o contato é uma via de mão dupla, com ambas as partes acordando com a postura de atingir os melhores fins.



SURFING: Então, você está dizendo que os aliens podem estar agindo de modo similar a “Premissa” do filme Jornada nas Estrelas?



MAYNARD: Há sempre essa contingência, mas não presumo que seja toda a questão.



SURFING: Será que os aliens não revelaram-se diretamente para nós, para não acometer o nosso curso natural evolutivo?



MAYNARD: Realmente, eu não estou certo se o governo – ou os aliens – são o motivo para a não revelação neste ponto, decerto pessoalmente suponho que o primeiro dos aludidos seja a contingência mais forte. Eu realmente presumo que se os governos estivessem precatados para os aliens, a revelação alien já teria sido feita há muito tempo. E qual outro motivo para haver tantos avistamentos, informes mundiais, e contatos com os aliens? Também, porque o governo agiria tão ríspido para refutar a existência dos mesmos?



SURFING: É possível que a senda humana atingiu agora um ponto onde nós saberemos da existência dos aliens?



MAYNARD: Realmente agora, Theresa, “a senda humana!” exceto a nossa tecnologia atual, nós também não avançamos muito. Se não foi para a nossa tecnologia, nós temos que retroagir novamente para a Idade da Pedra, ou tivemos uma outra Era Sombria. Lembre-se que foi justamente a pouco mais de cem anos atrás que nós gladiamos pela posse e abolição dos escravos, e nós subjugamos os indígenas e os compelimos, até hoje, a viverem como prisioneiros de guerra. Nós também travamos duas grandes guerras mundiais, e eu perdi a conta dos conflitos revolucionários e civis dos pequenos países que findaram nas últimas poucas décadas. Adstrito neste ditame, eu prezo o do Parque Jurássico: “Nós estivemos tão entretidos brincando de Deus, que descuidamos de indagar a pergunta mais pernóstica: Nós estaríamos criando o universo?” De certo modo, eu presumo haver uma contingência distinta, como a inquietação de contato alien e sua revelação, que o nosso governo, na sua atuante interação com a sociedade alien olvidou de indagar, se nós estaríamos aprestados para contatá-los?



SURFING: No website do Projeto Revelação está listado o seguinte informe:



Oficial: Sr. John Maynard



“Das corporações de pesquisa interadas na questão alien, uma das maiores é a Corporação de Pesquisa Atlântica. Pois, não se ouve comentar assiduamente a respeito. John Maynard é um espião que tem acesso a informações secretas, se quiser alcunhá-lo assim; muito discreto, e que sobretudo tem feito todo o seu trabalho na inteligência secreta, TRW, Controles Johnson, e Honeywell: todos eles em algum ponto ou outro atrelam-se com a área de inteligência. Certos trabalhos, atividades eram contratados para eles. A Corporação de Pesquisa Atlântica era uma delas, há algum tempo.



Estas entidades foram criadas por pessoal no Pentágono para tornarem-se “espiões” – (Institutos de Pesquisa ou negócios que) obtêm projetos, concessões, e dinheiro para efetuar certos projetos que eram tão altamente secretos e compartimentalizados que você saberia apenas sobre quatro pessoas que saberiam o que estaria ocorrendo no mesmo. Assim, eles eram rijamente controlados.”



SURFING: Acerca destes projetos altamente secretos que você aborda envolvendo Corporações Americanas: consoante suas inquirições, eram estas corporações que envolveram-se em medidas “defensivas” contra a alcunhada “ameaça alien”, e para lograr ou compartir tecnologia alien de engenharia reversa, ou todas acima e ademais? O que você pode nos dizer a respeito?



MAYNARD: O dístico deveria ser “Americano Reformado do Exército, DIA”, mas tudo bem, e o intuito diplomado é bem feito.



O Departamento de Defesa tem tido um progressivo programa defensivo desde a metade do ano de 1.950, o qual concedeu contratos para as Corporações/Organizações e Empreiteiros Civis Americanos que laboravam na comunidade de Inteligência. Estes projetos estavam sob amplo resguardo e eram altamente compartimentalizados. Isso traduz, que você tem vários âmbitos concêntricos: o mais rente você adentra, mais informações você pode destoldar no projeto. O mais distante você aparta-se deste âmbito interno, menos informações ficam acessíveis. Tudo isso é estritamente instituído como agir. Dentro destes âmbitos você poderia, se mostrar-se muito atentado, encontrar empreiteiros que obraram em várias partes do projeto, mas que realmente desconheciam-no. Isso também ocorreu na interação de militares com o principal empreiteiro. Também nesta estima, cada sucursal militar tinha certos projetos que estavam sob as medidas de segurança de compartimentalização.



O que traduz essa compartimentalização é simplesmente a classificação de um documento ou projeto, se é classificado ou como Confidencial, Secreto ou Ultra Secreto. Contudo, quando eles são abreviados, tal como: UMBRA (UM), MAJESTIC (MJ), OMNI (OM), ou TALENT KEYHOLE (TK), o programa compartimentalizado torna-se uma entidade. Os projetos e os âmbitos de conhecimento impelem restritamente para o centro e o acesso é anuído ou negado de dentro do mesmo.



Então, você pode literalmente dialogar com um oficial súpero no Pentágono, e a menos que lê tenha uma autorização para esse privativo projeto, ele possivelmente o desconhecerá. Se ele desconhece sua existência, ele nada saberá a respeito. Conhecendo as regras simples de classificação auxiliará a identificar a pessoa certa para se dialogar.



SURFING: Uma das metas políticas na planilha do projeto revelação é:



“Promulgar legislação para banir todas as armas baseadas no espaço.”



Você supõe que os projetos como o planeado programa de defesa americano de Anti-Mísseis está de certa forma interado com os extraterrestres?



MAYNARD: Meu parecer político a respeito é que, já que não podemos nos entender com ninguém neste planeta, nós justificamos a nossa escolha de armas com as quais nos defenderemos. Meu parecer ideológico é que nós deveríamos BANIR todas as nossas armas, expurgar todo o nosso sistema monetário, e retornar para um sistema de troca e vivermos em consonância dentre si. A ciência seria compartilhada com todos, não apenas com os distinguidos.



SURFING: Você supõe que algumas destas armas baseadas no espaço estão realmente sendo projetadas para gladiar com os seres extraterrestres? Nesse caso, que efeito aguçaria neles com a nossa “interação” com os aliens?



MAYNARD: Alguém sabe? Nós oficialmente não fomos ditos que o nosso governo ou qualquer outro esteja contatando os aliens. Então, como podemos ter uma interação? Alguém pode apenas especular a esta altura.



Eu presumo que ainda nos tememos, pois qualquer coisa alien é temeroso para todos os humanos. Aqueles no poder neste ponto mantêm sua precisão de ter armas para auto defesa, seja singular ou de destruição em massa. Como você sabe, nós temos dois lados para cada moeda e você trilha num lado num ritmo. Então, há aqueles que jornadeiam na margem dentre ambos os lados. O dilema surge para nós “onde você quer ficar”? Isso é algo que cada um de nós tem para indagar num ponto ou outro.



Contudo, esse não é o problema. O dilema é que nós não temos quaisquer filósofos autárquicos em nossa sociedade para manterem-se naquela margem para impelir a estabilidade que é requerida. Se há algum, eles temem os controladores de sociedade (governo e dinheiro) porque ousam ser distintos. Nesta estima, os governos justificam suas armas de destruição em massa, não somente de um ponto de defesa nacional, mas também planetário. Eu sempre presumi que seja qual for a presença alie neste planeta, aqueles interagindo dentro daqueles exíguos secretos confins, suscitam inúmeros méritos que são muito ilusórios e nocivos – para o ponto da paranóia. Não há liberais neste grupo! Sobretudo quando visa o atributo básico humano, e igualmente, para a sua estima os aliens.



Simplesmente, nós temos toda a Força Aérea Americana insurgindo-se com o armamentismo espacial. Ainda que, o governo tenha assinado um tratado com outros países com poder nuclear, acordando em não instalar armas de destruição em massa no espaço.



SURFING: O que você presume ser o argumento por detrás do segredo governamental em não querer compartilhar o conhecimento de uma interação extraterrestre com os humanos?



MAYNARD: Não é uma pergunta simples de responder e todos nós a cogitamos. Já me indagaram e eu meditei a respeito por algum tempo, pelo menos nos últimos 35 anos. Mesmo que eu responda, não explanará tudo.



Duas das maiores teorias que percebo são “AVIDEZ” e “GOVERNO SECRETO”. Se você contemplar a avidez dentro do governo (os chefes sêniors e a rotina servil), como uma possibilidade, isto é um fato implacável. Então, logicamente, que você tem o conceito do “Governo Secreto”, não tão inclemente quanto a avidez, mas um bom litigante dentro de muitos âmbitos. Contudo, a teoria de todo tempo, eu presumo, é o “PODE”, pleno e cabal inverificado poder, que é uma cominação de avidez e segredo. Isso é o que eu suponho estar mantendo esse acobertamento alien por muito tempo e continuará mantendo partes disto ocultas, para nunca serem desprendidas.



Nisto, eu presumo que o Projeto Revelação tem o conceito certo: simplesmente revele que os UFOs e aliens existem.



O restante advirá depois quando o Congresso agir e desvendar que os militares tem estado mancomunando algo nos últimos 40, 60 anos ou mais. Até mesmo, haverá certos enredos que serão velados rijamente e nunca verão a luz do dia, até o ponto que os cidadãos americanos estão confrangidos e, com todo o devido respeito para o seu poder, também o Congresso.



SURFING: Em sua opinião, que efeito teria uma plena revelação da existência dos seres extraterrestres em nossa sociedade, religião, e organizações políticas?



MAYNARD: Deixe-me tomar cada um destes enredos de nossas vidas na ordem inversa:



Vida Política e Organizações: Quando provêem para os UFOs e contato alien, em nosso sistema atual, pelo menos 98% de nossos oficiais eleitos desconhecem tanto quanto o restante de nossos cidadãos. Também é uma questão simples saber que os nossos oficiais eleitos são tão ávidos que não conseguem perceber além daquela avidez para o que tem estado ocorrendo em nosso país, mas eu aditaria que isso não está tudo abrangido. Quanto as organizações mundiais, basicamente dentro da liderança, como a ONU, e as nações industriais, seus níveis atuais de conhecimento possivelmente transpõem o que a população americana sabe, ainda que, esteja dissimulando no último grau.



Organizações Religiosas: Para a maioria, ficará plenamente e ulteriormente vexada e atingida na sua teologia. Ainda que, haja uma pessoa direta dentro da comunidade religiosa que compreenderá essa questão serenamente, não será atingida pelo anúncio. Será essa pessoa que ministrará o modo para compreender amplamente as escrituras e a teologia do conceito de um Deus-Uno.



Aspectos Sociais: Essa é sobretudo a mais intricada previsão ou prover uma avaliação. Eu diria que, como um todo, o enredo social de uma presença alien terá inicialmente um efeito tocante, como um fato determinante.



No entanto, houve muito mais análogos tipos de mudanças em nossa estrutura social, algumas súbitas, enquanto outras (são) mais pungentes. Cada mudança, foi tomada no âmago para o que foi estrugido no enredo. Contudo, algumas destas mudanças não advirão naturalmente ou prontamente, pois algumas foram causadas por guerras civis ou revoluções, enquanto outras tiveram uma causa e efeito na sociedade por mais de um período. Ainda que, a força para conquistar aviões, automóveis, trajeto populacional, e progressivamente para viagem espacial – para outros mundos, tenha sido feita com tecnologia capital – todos foram efetuados pausadamente. Eu presumo que nossos enredos sociais subsistirão, e sim, haverá alguns autocídios, e sobretudo, algum tipo de adversão sobre essa revelação alien. Mas a mudança virá, e será para melhor.



SURFING: No seu entendimento como alguém que obrou no campo de desinformação ufo, por obséquio, nos passe uma breve explanação de como exatamente opera o mesmo?



MAYNARD: Desinformação ou informação errada: A arte de contagiar informações deve ser num modo que tenha um bocado de verdade no informe para torná-lo uma plausível réplica para uma questão ou um possível desfecho para o tópico em questão. Ainda que, se aplicado apuradamente coagirá alguém a crer na inverdade, em outras palavras, logrará ilações equivocadas.



Uma vez que a ilação seja aventada no contexto inverídico da informação, prosseguirá medrando na alameda incerta iludindo o incauto. No entanto, você ainda pode perceber um filete da verdade que foi dita, que lhe mantém (aparte) ou lhe conduz a apartar-se da verdade. Você está até aqui tão aparte com suas ilações, que você ofuscou-se da verdade, e está pronto para crer em qualquer coisa que lhe seja dito sobre o assunto, certo ou errado.



SURFING: Você pode me passar alguns exemplos distintos de campanhas desinformantes UFOs que você tomou parte, ou soube na sua carreira de inteligência?



MAYNARD: Não um exemplo distinto (Eu estou guardando-os para o Congresso), mas o processo de desinformação pode lhe auxiliar. Um programa simples, é aventar a mudança na forma de um objeto como os discos voadores. Relate os fatos reais do que foi dito, mas adite que você “supôs ter sido na forma de um disco”, e diga que a pessoa que contemplou esse objeto de um ângulo distinto, viu algo similar: “Você disse que esse objeto era na forma de um charuto, pois presumi ter mais a forma de um disco, e possivelmente o ângulo fez a diversidade.” Se você ficar reiterando esse discernimento, os demais crerão que este objeto tinha a forma de um disco. A verdade: a pessoa viu um objeto na forma de um charuto. Você mudou seus valores, que é o que será reportado.



Em algum ponto durante o debate sobre a forma do objeto, você insinua algo mais adverso do que foi relatado. Você começa mesclando os informes em inverdades, então, durante a acirrada discussão, você retrinca ter auscultado inocuamente um parecer contra o qual, alguém mais relatou. Daquele ponto doravante, você não demandou prosseguiu dizendo a inverdade, e os demais na discussão persistirão perscrutando a alameda errada até crerem em algo cabalmente distinto do que foi originalmente aventado.



Você pode efetuar o mesmo nos informes escritos urdindo com os fatos básicos redigidos num modo, que por si, são verídicos, mas grupalmente, você mudou a verdade da questão. Você meramente aditou a verdade com mais retóricas que estão justamente “aparte”, e eventualmente, você logrará um informe errado. Você então espera por uma resposta e refuta o informe, ou anui, se estiver pertinente com o que você aventou. Depois desse ponto, você pode avançar aditando informes até que esteja tão aparte da verdade que a maioria almejará saber onde que tudo isto iniciou. O ponto perfeito sobre este tipo de desinformação é que ninguém pode deslindar a questão e a inverdade continuará medrando insuspeita com os demais mantendo a discussão no rumo incerto. Contudo, se o escritor tiver uma percepção da verdade, você pode meramente elaborar pontos novos que lhe arredará da mesma, e lhe noticiará como fato – que conduzirá o leitor na senda que você tomou no assunto.



Neste instante, você assentou coisas sobre a sua vida diária perfilado com o que estou discorrendo. Basicamente, todos usam algum tipo de desinformação ou informação errada na sua vida diária. Eles dizem a verdade, mas não toda a verdade (justamente para) onde o leitor ou presenciador possa tirar as suas próprias conclusões. Se você quiser que eles saibam da verdade, então lhes digam; outrossim, uma pessoa simplesmente seguirá numa senda que conduzirá outros a apartarem-se da mesma.



Comumente, nós a alcunhamos de mentira; no entanto, isto é tão comum atualmente que a maioria não compreende que estão aventando inverdade.



SURFING: Que normas você usa atualmente para aquilatar as informações, como um cidadão civil para discernir o que é desinformação e o que não é?



MAYNARD: Primeiro, eu presumo que você precisa de algum treinamento para discernir o que é e o que não é desinformação. Por exemplo: uma questão é iniciada por um dos membros de um grupo de discussão – como sua lista de participes que se registraram no seu serviço de email. Depois, eu sigo o assunto para ver onde que o iniciador está conduzindo o leitor. Depois disso, eu observo os pontos reiterados, informes declinados e, pontos cotejados, e como cada um deles foram lidados.



Destes três elementos ou atributos da questão, você pode, lendo o primeiro informe, desvelar sua verdade e então, definir qual rumo o escritor tem lhe guiado. Se eles estão lhe apartando da verdade, procure informes seqüentes que lhe apartarão da mesma.



Aqui é onde os instintos audazes mesclam-se no jogo. Se o escritor persevera na senda do que você definiu inicialmente serem informes verídicos, e você presume que alguma coisa está incerta no rumo daquela informação, você possivelmente está certo. Volte no início e veja o que mudou desde o informe original. Se é desinformação que está sendo irradiada, os subtítulos dos informes podem não lhe embair inicialmente, mas são pontos incontestes de verdade e inverdade.



É uma questão de ler e reler informes para destoldar as mudanças súbitas que detratam a verdade da questão. Desvelando a verdade na desinformação é intricado e toma muito tempo.



E, a propósito, você pode usar o mesmo programa adverso para desvendar a verdade, mas você realmente precisa saber o que você está fazendo.



SURFING: Eu presumo que na sua vida, você teve a experiência de alguém ter mentido para você. Quando ocorre, torna-se intrincado crer em qualquer coisa que já lhe disseram. Devido ao logro que as pessoas vivenciaram dos seus governos por muitos anos, não é pasmo que as pessoas questionem os motivos por detrás da revelação governamental. Com todo o devido respeito a sua pessoa, o que você pode dizer para aqueles que presumem que o Projeto Revelação é uma destra campanha desinformante?



MAYNARD: O que você faz com os embusteiros? Eu posso indagar, você nunca mentiu para ninguém, Theresa? Você não respondeu isso! No entanto, reflita sobre o que você disse. Nós todos sabemos que o governo não assenti ninguém ser pronunciado mendaz a menos que seja para a sua melhor solicitude; e o que alguém alcunha de mentira é uma questão de percepção da parte governamental. Os militares tem provido as agencias governamentais que sabem dos EBEs e UFOs com informações pérfidas. Isso provê uma impressão hipócrita do que o público sabe ou crê. Logo, a percepção governamental é uma inditosa apreciação de sua parte.



Contudo, considere: nós somos humanos, e sendo então, seguidamente trajamos uma anteface para velar os nossos genuínos sentimentos e intenções. Quando alguém lhe indaga como você está, como você responde? A resposta geralmente é “bem, como você está?”. Cordial e polida – mas isto poderia ser a coisa mais equivoca. Todo dia nós brincamos com os nossos jogos e, dependendo de como nós realmente nos sentimos, é como nós reagimos.



Enquanto no serviço militar, eu tive que cursar vários anos de turmas de expressiva psicologia para basicamente compreender a expressão corpórea. Eu fui treinado nas artes marciais, que abrangeu a metodologia em conhecer o seu rival, os aspectos espirituais de treinamento para adotar a arte, e como evitar um embate. Atualmente, eu laboro numa plena coadjuvação espiritual com todos os meus colegas, onde – Eu não me ostento quando digo isso – as pessoas elegem trabalhar comigo, por inexistir crises que eu não pudesse dissipar. Contudo, me levou muito tempo, para compreendê-lo. E, enquanto alguns dizem que a minha esposa tem um dom natural para compreender a linguagem corporal, eu levei vários anos para compreendê-la, e ela tem o dom natural para adotá-la. Ela pode ler a linguagem corporal e anular muitas vezes situações divergentes com um simples gesto manual e uma voz agradável. Ela nunca fez qualquer curso de psicologia ou de artes marciais e tampouco conhece quaisquer dos aspectos espirituais destas áreas. Justamente lhe surgiu naturalmente, e eu circunstancialmente aspiro aquela habilidade. Porém, eu não sou tampouco perfeito, mas nós obramos bem em equipe. Justamente um prolixo modo de dizer para cada pessoa que tem que amoldar a sua própria concepção com o que fazer com aqueles que eles pegam falseando.



Quanto aos dissidentes que você aludiu, eu duvido que você ou eu já cambiamos os seus conceitos na questão da desinformação. Concluindo, eles tem noções preconcebidas e, na maioria, são bem cônscios de seus argumentos.



Quando ao Dr. Greer e eu mutuamente acedemos em lidar com esta questão, ele aventou seus intuitos para criar e tornar público o projeto revelação. Isto me levou muito tempo para lidar com a impacção daquele informe e onde isto talvez conduza.



Eu discuti seus informes, e os fatos precingindo a minha interação com a minha família. Eu tive que assegurá-los que esse era um projeto que era, para melhor ou pior, requerido, e que o nosso governo tinha que finalmente revelar o seu conhecimento sobre os UFOs e os contatos aliens. Isto ainda me conduziu para o meu próprio aprazimento, inúmeros diálogos com o Dr. Greer para definir que os informes dos dissidentes não era a questão.



Ultimamente, eu descobri que o Dr. Greer é uma pessoa sincera com a sua incumbência, que alguém esperaria, mas que também, nunca tentou velar nada daqueles que almejam obrar no projeto revelação. Basilarmente, enternece o fato de que nós somos o “Projeto Revelação”, e somos o seu grupo de suporte, e sem estas testemunhas chaves ele tem dito que não haveria o “Projeto Revelação”. Nós acreditamos no que estamos fazendo? Sim, eu presumo que todos nós cremos neste projeto e no que o Dr. Greer está fazendo.



Se alguém pode ser inculpado de aventar mais de vinte desinformações ou os testemunhos no dia 9 de maio no Clube de Imprensa Nacional, este poderia ser eu. Eu estou rogando as pessoas para literalmente anuírem o meu testemunho sem provas, e sobretudo, baseado no fato de que eu estive no serviço militar por mais de 21 anos e trabalhei para a Agencia de Inteligência de Defesa e outros comandos ligados a inteligência militar. Contudo, ainda enreda o fato deu não ter provas tangíveis, mas isso não traduz que eu desconheça a verdade sobre os UFOs e Ets.



Há quase dois anos, eu fui entrevistado por Linda Moulton Howe, que sondava provas e tudo o que eu pude provê-la foi o meu conhecimento. Nós anuímos naquele instante que a prova seria a chave primordial. Quanto a isto, agora traduz que, conquanto eu não posso criar provas, eu posso compor o efeito almejado que o Projeto Revelação me requer.



Eu tenho o conhecimento e conheço os jogadores no governo, sendo a minha meta tê-los para levá-los diante do Congresso, sob jura, para explicar porque a revelação alien nunca foi assentida, e as respostas de questões alusivas a outras informações e relatos de “testemunhas”. Quando isso ocorrer, a verdade irromperá e então, todos nós poderemos dispor o nosso discernimento para o que fazer com a mesma.



Como eu disse outras vezes, “em retrospecto tem contemplado 20/20”. Eu poderia ter uma chance e transcrito documentos secretos ufos; isto era muito simples e não que eu não tivesse meditado a respeito. Eu poderia tê-los transcritos, removido de algum lugar, e inumado-os para mantê-los seguros até advir um momento acertado como esse. Contudo, a chance que eu poderia ter sido apanhado avivou a concepção de realizar tal oficio. Se eu tivesse feito, eu possivelmente não estaria aqui abancado digitando essa resposta. Todos que subtraíram, estão confinados, isolados, e isto eu não poderia encarar. Eu sou uma pessoa livre e almejaria continuar assim.



SURFING: Eu quero dizer, que laborando nessa entrevista com você tem certificado o paradigma de mudança da realidade sobre o que realmente é o Projeto Revelação. Se eu fosse dizer as coisas exatas que você disse sobre os UFOs e Ets, isto não teria a seriedade que sua credencial requer para as informações. Eu presumo que os informes do Dr. Green vinculam esse projeto com presenciadores como você. Eu compreendo que o Projeto Revelação Excursionará Nacionalmente. Você pode me dizer o que advirá em breve?



MAYNARD: Obrigado, a sensação é mútua.



Os informes básicos podem ser obtidos, inclusive a programação de discursos do Dr. Greer, no website Projeto Revelação, www.disclosureproject.org. Eu pessoalmente planejo comparecer em alguns dos mesmos. Eu estive com o Dr. Greer e outros membros do grupo instrutor em Charlottesville, VA, no dia 1 de agosto. Houve aproximadamente 500 presenças durante aquele encontro, e para um meio de semana, 3 horas de sessão, dizendo-se é demasiado. Atualmente, o Dr. Greer palestrará nos Estados do meio oeste, seguido por Washington DC, e os Estados de Nova York e Canadá. Ele também está programado palestrar em Londres onde eu também tentarei comparecer, se houver possibilidade.



Paráfrase Final de John Maynard:



MAYNARD: Uma apreciação súbita acerca das armas no espaço: Eu tenho dois simples informes. Primeiro, eu creio e rogo para que todas as armas no espaço sejam banidas. Segundo, eu também sou cordato em compreender que onde há humanos, haverá sempre algum tipo de arma.



Meditando novamente no que Maynard disse nesta e outras entrevistas, me torna até mais decidida a contemplar o Projeto Revelação na sua alameda, não importa quais sejam as ilações. Nós devemos fazer alguns amplos avanços pois os figurantes, os “mestres de desinformação” estão avultando seus informes e tentando ressoá-los como se fôssemos um grupo de insanos.



Então, no que você crê? Eu sei no que eu acredito? Eu acredito no que o Dr. Greer tem dito, e como ele tem irmanado as pessoas e os recursos para aduzir uma mensagem versada para os Americanos, e rogar para a revelação alien pelo nosso governo – uma mensagem que tem sido sonegada por muitos anos. Desta forma, eu nem mais importo saber que o governo não tenha exposto a questão de que os UFOs e Extraterrestres tem visitado a Terra regularmente. O que importa é que o governo finalmente cesse de representar sua função comedida e diga a verdade. Sim, a verdade que nós temos sido visitados ciclicamente por seres extraterrestres, que adentram e saem de nosso espaço em naves que foram vistas e fotografadas por muitos anos por pessoas como você. Este é o momento de nosso governo expor esse conhecimento para a plena revelação alien, não apenas para os Americanos, mas também para o mundo como um todo, assentindo que outros governos abarquem essa intrépida nova revelação de nossa história.



Eu também presumo, que uma vez que uma plena revelação alien tenha sido atingida, a humanidade compreenderá que nós podemos alcançar a paz mundial, sem armas, através da tecnologia e cooperação de nossos vizinhos galácticos. Meu aguardo é que a humanidade demande para seus governos apelarem a paz; a Paz Mundial. Eu tenho auscultado essa frase assiduamente, pois eu nunca presumi que tivéssemos uma esperança ou vislumbre, que pudesse realmente ser possível, mas isto é fato. É uma questão de fazer as pessoas compreenderem, não importa quem sejam, que o único meio para uma magnânima paz em nosso mundo é manter a paz além dos nossos confins mundiais.


Isto aviva: Primeiro a Revelação Alien, Segundo a Paz, e Terceiro Sem armas no Espaço!

Um insigne modo de realmente recepcionar a nova mudança de milênio.





Essa entrevista foi conduzida por Thereza de Veto para o SurfingTheApocalypse


Janglada

We are not alone

0 Comments:

Post a Comment

<< Home